ABB, S.A.: Solar Impulse enfrenta os desafios com inovação e tecnologia

O Solar Impulse fez história ao completar o primeiro voo, à volta do mundo, utilizando apenas a energia do sol. O avião aterrou, no que foi também o seu ponto de partida, em Abu Dhabi, às 4:05 am, hora local, depois de uma etapa final de 48 horas e 37 minutos desde o Cairo. “Isto demonstra claramente que, com espírito pioneiro e tecnologias limpas, podemos gerir o mundo sem consumir a terra. Estamos extremamente orgulhosos de ter sido capazes de contribuir para este projecto notável”, disse o CEO da ABB, Ulrich Spiesshofer. A ABB forjou esta aliança de inovação e tecnologia com o Solar Impulse, porque o que o projeto alcançou no ar, a ABB está a fazer em terra, como um pioneiro de tecnologias de energia e automação durante 125 anos na Suíça. “Ao combinar as respetivas forças, o Solar Impulse e a ABB foram capazes de mostrar que a inovação pode ser transformada numa solução credível e como a energia pode ser produzida de forma mais eficiente, armazenada e utilizada de forma a criar um mundo mais limpo.”

Nesta tentativa, bem-sucedida, de voar à volta do mundo, o Solar Impulse teve de enfrentar muitos dos desafios que a ABB está a ajudar a resolver em terra para os seus clientes, como maximizar o rendimento da energia a partir de células solares, integração das energias renováveis nos sistemas de distribuição de energia elétrica e a melhoria da eficiência energética. Durante o voo, o Solar Impulse fez escalas em quatro continentes (Ásia, América do Norte, Europa e África), e voou através de dois oceanos (Pacífico e Atlântico), bem como pelo Mar Mediterrâneo e Península Arábica. Pelo caminho, estabeleceu vários novos recordes de aviação, incluindo o da duração de voo, com um só piloto, mais longo para um avião (117 horas, 52 minutos) alcançado por André Borschberg no percurso desde o Japão para o Havai e a primeira travessia do Oceano Atlântico num avião solar, alcançado por Bertrand Piccard.

www.abb.pt