renováveis magazine

Conferência ETIP PV 2023

Conferência ETIP PV 2023: A inovação solar fotovoltaica da UE requer mais ambição e investimento

A conferência ETIP PV explorou o papel da tecnologia solar e da inovação como um dos aspetos fundamentais para trazer a produção de energia solar fotovoltaica de volta para a Europa.

Nos passados dias 10 e 11 de maio, cerca de 150 participantes estiveram presentes na Conferência ETIP PV – Plataforma Europeia de Tecnologia e Inovação para Energia Fotovoltaica, que decorreu em Bruxelas.

A conferência destacou como a pesquisa e a inovação, em conexão com um conjunto específico de políticas e medidas de financiamento, podem ser fatores decisivos no reaparecimento de uma cadeia de abastecimento solar europeia. Com um cenário de I&D solar excecionalmente forte, é essencial alavancar os recursos europeus de I&D e o know-how existentes para promover essas tecnologias. Durante o evento, representantes da indústria, da academia e da política partilharam as suas opiniões sobre os desafios e as oportunidades relacionados com a consolidação da cadeia de abastecimento solar fotovoltaica europeia.

A conferência ETIP PV explorou o papel da tecnologia solar e da inovação como um dos aspectos fundamentais para trazer a produção de energia solar fotovoltaica de volta para a Europa. Em particular, o evento apresentou quatro painéis de discussão sobre os desenvolvimentos da produção solar global; a competitividade da cadeia de abastecimento europeia; o pipeline europeu de I&D e inovação; e a sustentabilidade ambiental e comercial.

Lukasz Kolinski, Chefe de Unidade da Direção de Energia da Comissão Europeia, abriu a Conferência ETIP PV de 2023, enfatizando a necessidade de uma abordagem europeia que proporcione com sucesso o reaparecimento de uma cadeia de abastecimento solar doméstica. Ele destacou que: “a UE está agora a finalizar as negociações sobre a Diretiva de Energia Renovável, com uma meta obrigatória de 42,5% de energia renovável e uma meta para tecnologias inovadoras – uma duplicação da atual parcela de energias renováveis ​​em 8 anos. Estes são passos importantes para encaminhar a indústria e os investidores e fornecer previsibilidade.”

As discussões do painel na conferência também enfatizaram a necessidade de uma maior ambição, especialmente no que toca à investigação e inovação. Caso contrário, o setor solar fotovoltaico da UE corre o risco de ficar para trás em relação às outras regiões. Rutger Schlatmann, Chefe da Divisão de Energia Solar da Helmholtz Zentrum Berlin e presidente da ETIP PV, comentou que a indústria europeia de produção e equipamentos sempre foi construída sobre uma infraestrutura de pesquisa e inovação muito forte. Agora, mais do que nunca, a Europa terá de investir fortemente para marcar a sua posição nesta realidade tecnologica de rápida evolução e altamente competitiva.”

Na abertura do segundo dia da conferência, Rosalinde van der Vlies, Diretora do Clean Planet na Comissão Europeia, comentou que “programas da UE como o Horizon Europe irão permitir que a Europa lidere em pesquisa e inovação na energia solar fotovoltaica. No entanto, também é preciso uma transferência mais rápida dos testes Lab-to-Fab, a fim de realmente capitalizar os resultados da pesquisa europeia”.

Concluindo o evento, Peter Fath, CEO da RCT Solutions, presidente do ETIP PV Industry Working Group e um dos presidentes da conferência ETIP PV 2023 afirmou que “o custo de competitividade da produção de Fotovoltaicos na Europa é um problema que podemos superar. O principal desafio é a falta de uma cadeia de valor bem estabelecida na Europa.”

No geral, a conferência ETIP PV foi uma plataforma valiosa para trocar e moldar os principais tópicos da indústria europeia de energia solar fotovoltaica. Refletindo sobre a conferência, Delfina Muñoz, investigadora sénior do INES e outra das presidentes da conferência ETIP PV, questionou se “seria demasiado tarde para a produção Fotovoltaicos na EU. Precisamos de acordar e criar um ecossistema europeu de fabrico fotovoltaico, não apenas lucrativo, mas também social e ambientalmente sustentável”, concluiu.

Fonte da imagem: sesi.in

Translate »