renováveis magazine

EDP avança na redução de NOX em central a carvão espanhola

EDP avança na redução de NOX em central a carvão espanhola

Após estudos geotécnicos realizados nos primeiros meses…

Após estudos geotécnicos realizados nos primeiros meses do ano, a EDP já iniciou a construção da central de desnitrificação do Grupo 2 da central termoelétrica de Aboño. A central termoelétrica de Aboño é uma instalação de ciclo termoelétrico convencional de queima de carvão, localizado perto do porto de Gijon, no Município de Carreño, nas Astúrias. É composto por 2 grupos, totalizando 921 MW e é de propriedade da empresa HC Energía. Com a montagem duma instalação de desnitrificação tem como propósito a redução das emissões de NOx, resultantes da queima do carvão. Será a primeira tecnologia deste tipo – desnitrificação catalítica seletiva – que entra em serviço no parque de geração térmica espanhol, que, junto com a central análoga que se edificará no Grupo 3 da central térmica de Soto de Ribera, representará um investimento total de 100 milhões de euros.

As centrais de desnitrificação reduzem as emissões dos óxidos de nitrogénio (NOx) presentes nos gases de escape, provenientes da combustão do carvão na caldeira. Quando estes gases entram na central de desnitrificação injeta-se um reativo, que é uma solução aquosa de amoníaco, fazendo passar por um reator que contém um catalisador, no qual se procede à transformação dos óxidos de nitrogénio em vapor de água e nitrogénio, substâncias que não são prejudiciais para o meio ambiente. Desta maneira, podem-se reduzir até 80% as emissões de óxidos de azoto. O projeto, instalação e arranque desta obra foram adjudicados à empresa TSK, em consórcio com a Mitsubishi Hitachi Power Systems. O seu projeto, além de cumprir com todos os requisitos técnicos e legais estabelecidos nas regras e códigos correspondentes, procurou maximizar a segurança das pessoas que irão explorar a central, a disponibilidade dos seus equipamentos e sistemas, tudo conjugado com o máximo respeito ambiental, indo muito além do estabelecido pela Diretiva da União Europeia de Emissões Industriais 2010/75, uma vez que as emissões destes gases se situaram muito abaixo do limite estabelecido por essa Norma.

A implantação das centrais de desnitrificação do Grupo 2 de Aboño e o grupo 3 de Soto de Ribera, previstas para 2016 e 2017, respetivamente, permitirá que ambas as centrais funcionem, pelo menos, até dezembro de 2035. Além disso, este projeto vem fomentar a economia do Principado das Astúrias, uma vez que se vão criar 200 postos de trabalhos diretos. A estes terá que se somar as 400 pessoas que trabalham diariamente nas centrais, número que chega aos 1400 trabalhadores findas as obras programadas. Estes números sublinham a importância da EDP Espanha tem na criação de emprego no Principado das Astúrias. Na sequência deste projeto, a EDP terá investido mais de 200 milhões de euros na última década em centrais termoelétricas nas Astúrias. Este nível de investimento e eficiência na operação e manutenção dos grupos fazem com que as centrais da EDP sejam as mais eficientes e ambientalmente amigáveis do país.

Tânia Tavares
Grupo ReNews – FEUP

Translate »