renováveis magazine

Entrevista a Nuno Moreira

Nuno Moreira: “O biometano é a melhor solução para o transporte pesado de mercadorias e pessoas”

O CEO do Grupo Dourogás não se entusiasma com uma certa popularidade da ideia de “eletrificar a economia” e acredita que caminhamos para uma oferta energética variada, com sectores a escolherem as soluções que mais lhes convenham, como é o caso da indústria e do transporte pesado de mercadorias e de pessoas, para os quais o gás é o combustível com melhor resposta tecnológica. Idealmente, gás renovável.

Renováveis Magazine (rm): Que mapa-mundo do gás vai ficar depois da guerra na Ucrânia?

Nuno Moreira: As reservas de gás no Mundo são substanciais. Há um reenquadramento fruto da necessidade de um grande produtor não ser mais adequado para a Europa. Não vemos que seja difícil readequar as fontes e as origens que são, provavelmente, substituídas pelo abastecimento vindo do norte de África ou do norte da Europa, como vemos hoje, ou ainda dos Estados Unidos. Portanto, vemos soluções bem possíveis e desejáveis nesse sentido.

rm: Acredita que a Rússia se torne, entretanto, um parceiro novamente confiável no fornecimento de gás à Europa?

Nuno Moreira: É uma questão que extravasa muito a energia. Do que vou ouvindo dos atores políticos, constata-se que não desejam, num horizonte próximo, depender da Rússia, e é com esse cenário que a Europa avança para alternativas.

rm: Quais são os planos para o desenvolvimento do grupo Dourogás?

Nuno Moreira: A nossa atividade tem-se pautado por encontrar sempre soluções tecnológicas que permitam oferecer as melhores propostas aos clientes, nomeadamente à mobilidade. Acreditamos que estamos na linha da frente do biometano, somos os únicos em Portugal que temos já um posto dedicado a 100% ao biometano, em Mirandela, e vamos ter outro em Loures. Desse ponto de vista estamos muito apostados em fazer passar a mensagem de que uma viatura a gás, quando abastecida a 100% biometano, tem igual mérito de que qualquer outra, seja elétrica, seja até futuramente a hidrogénio, que nós também defendemos. Neste momento acreditamos que qualquer operador de transportes e de logística pode e deve adquirir uma viatura a gás e alimentá-la a biometano. Essa é a forma imediata de contribuir
para a transição energética e para a descarbonização da economia. Não existe, do que nós
conhecemos, nenhuma outra forma, e compete- nos a nós, como maior operador em Portugal para veículos a gás natural, liderar essa oferta e oferecer esse produto que poderá concorrer com a mobilidade elétrica, que não é neste momento uma solução para o transporte pesado. No nosso entender pode perfeitamente utilizar GNV Renovável.

por Carlos Saraiva

Para ler a entrevista completa faça a subscrição da revista e obtenha gratuitamente o link de download da “renováveis magazine” nº54. Pode também solicitar apenas esta entrevista através do email: a.pereira@cie-comunicacao.pt

Outros artigos relacionados

Translate »