Sistemas de autoconsumo com e sem baterias – 1.ª parte

Sistemas de autoconsumo com e sem baterias – 1.ª parte

Sistemas de autoconsumo são instalações fotovoltaicas em locais onde exista rede elétrica pública e/ou gerador. Neste caso a produção de energia não é para venda mas para consumo do próprio local.

A energia que não é consumida durante o dia é armazenada em baterias, para serem usadas durante a noite. A rede elétrica pública e/ou o gerador funcionam como apoio sempre que haja défice entre a produção e o consumo. Com este sistema prevê-se uma redução significativa na fatura de energia e/ou no consumo de combustível do gerador. A redução vária com a dimensão do sistema de autoconsumo.

Neste artigo serão abordadas instalações de autoconsumo, com possíveis aplicações. Será focado o funcionamento de uma instalação fotovoltaica de autoconsumo com baterias, os componentes específicos e as suas caraterísticas e os passos no dimensionado de uma instalação isolada.

Autoconsumo sem baterias

Configuração 1: Autoconsumo instantâneo

A este tipo de configurações chamamos de instalações orientadas para o consumo instantâneo do nosso gerador fotovoltaico pelo que o pretendido é evitar que não existam excedentes de venda à rede precisamente porque provavelmente não haverá compensação económica (tarifa) ou então poderá haverá alguma troca de energia com a rede.

É apresentada de seguida uma curva de consumos com uma curva do micro-inversor. Este tipo de configurações é ideal com cargas constantes ao longo do dia (24 horas/365 dias por ano).

Filipe Pereira
Engenheiro Eletrotécnico (ISEP)
Professor do Ensino Secundário Técnico

Para ler o artigo completo faça o download gratuito da “renováveis magazine” nº14. Verifique o seu email após o download. Pode também solicitar apenas este artigo através do email: a.pereira@cie-comunicacao.pt

      Selecione as sua(s) área(s) de interesse

      Utilize a tecla Ctrl para selecionar mais que uma opção

    Outros artigos relacionados

    Translate »